Telefone: 55 (51) 3011 6982

valeseseswss

Imprensa internacional e entidades visitam a Dália

Patrocínio

Jornal britânico, CIC -VT e Federasul buscaram entender os processos produtivos da cooperativa e os estragos nos municípios da região após a maior catástrofe climática do RS

O Presidente do Conselho de Administração recebeu os Presidentes da Federação de Entidades Empresariais do RS (Federasul), da Câmara de Indústria, Comércio e Serviço do Vale do Taquari (CIC – VT) e de jornalistas internacionais no final do mês de maio.

   Na ocasião, Gilberto Antônio Piccinini, Presidente da Cooperativa Dália, apresentou a estrutura organizacional da cooperativa, forma de gestão e missão, como também o atual cenário das agroindústrias suínos, frango de corte e leite. “Ao longo destes quase 77 anos de fundação, completados no dia 15 de junho, a Cooperativa tem estrutura sólida e opera com um Grupo Estratégico de Governança formado pelo Conselho de Administração, formado por nove conselheiros, responsáveis de eleger Presidente e Vice. Já o Presidente Executivo é o profissional contratado responsável pelos negócios e posicionamento no mercado. No entanto o órgão máximo da cooperativa é a Assembleia Geral dos Associados”, afirma Piccinini.

   O gestor relatou que a Dália tem 2.598 associados, presentes em 127 municípios do estado do RS. “Em se tratando dos segmentos de atuação, a Dália conta com quatro programas de produção: suinocultura, laticínios, avicultura e grãos, desenvolvidos em três complexos industriais e uma unidade destinada à fabricação de queijos”. 

   Paralelo a isso, o presidente do conselho também explicou que a empresa está organizada em nove divisões. “Para atender as demandas dos nossos programas de produção, a Dália está organizada em uma Controladoria e oito divisões: Produção Agropecuária, Produtos Suínos, Produtos Lácteos, Frango de Corte, Controle de Qualidade, Comercial Carnes e Derivados, Comercial Lácteos e Varejo, totalizando 2.788 colaboradores”.

   Capacidade produtiva

   Piccinini também destacou a impressionante capacidade produtiva em cada segmento do agronegócio, incluindo os setores leiteiro, suinícola e avícola. “Os números são diversos, mas o que importa é que, na ponta final, nossa capacidade produtiva nas indústrias é notável. No frigorífico em Encantado, podemos abater 3 mil suínos por dia. No Complexo Industrial Avícola, processamos 275 mil aves diariamente. O Complexo Lácteo tem capacidade para receber até 1,1 milhão de litros de leite por dia, e produzimos cerca de 800 toneladas diárias de ração animal”, ressaltou.

   Estragos das cheias

   O Presidente da CIC – VT, Ângelo Fontana, relata que a visita foi uma demanda do próprio jornal britânico Finantial Times (FT), que por ser uma das importantes empresas de mídia empresarial e financeira do mundo, procurou a instituição regional para conhecer a dimensão da crise causada pela maior catástrofe climática do estado do RS. “Acompanhamos os jornalistas em algumas empresas e nas cidades mais afetadas. Durante o deslocamento, pode-se visualizar o estrago feito pelas cheias nas propriedades rurais”, destaca Fontana.

   O Presidente da CIC -VT afirma que também procurou mostrar a importância socioeconômica das empresas para a região do vale e de todo o estado do RS. “A cadeia produtiva de proteína animal é muito característica de nossa região. O setor gera riqueza, emprego e renda.”

   Por fim, Fontana ressalta que foi de extrema importância a iniciativa da imprensa internacional buscar o atual cenário de desenvolvimento e a representatividade que o setor agropecuário tem para o estado, país e mundo.

Assessoria de imprensa Dália Alimentos

CIC Vale do Taquari

Mais notícias

Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa  Política de Privacidade.